sexta-feira, 6 de novembro de 2009

História do Boris







Um dia fui ao veterinario levar um cachorro meu, chega um homem e diz que tinha um cachorro filhotinho no carro que havia sido atropelado e seu filho tinha visto e implorou para o pai para leva-lo ao veterinario. A recepcionista disse o valor da consulta, o homem disse que o cachorro não era dele, que ele não podia pagar e o cachorro estava só com a pata fraturada, a recepcionista diz que tem de levar o centro de zoonose para ser sacrificado, ele novamente afirma que o cachorro é filhotinho. Eu interrompo a conversa e mando a recepcionista buscar uma maca que eu pagaria os gastos do cachorro. Não suporto ver injustiças ainda mais com animais. Quando ele trouxe o cachorro, ele estava bem magro e com uma fratura exposta no femur, eles colocaram na maca e foi quando ele olhou pra mim (o cachorro) e nossos olhos se cruzaram e senti ele me pedindo, implorando para salva-lo. Isso era uma tarde, liguei para o Luiz e contei tudo, ele saiu do trabalho e veio direto pro hospital veterinario, a cirurgia terminou por volta das dez da noite. Ele havia colocado três parafusos na pata e fixadores externo. Teria que leva-lo todo dia para fazer curativos. Chegamos em casa, demos um banho nele, mesmo deitado, estava bem encardido, comeu e foi dormir. No outro dia era um sacrificio para coloca-lo no carro porque doia muito, ele tomava aquele tramal (que é um dos analgesicos mais fortes que tem). Enfim depois ele foi fazer fisioterapia, começou a apoiar a pata depois de 28 dias, quando tirou o fixador. Depois de dois meses fui vacina-lo e ele no outro dia começou a passar mal, vomitando até agua e terrivelmente apatico, levamos ao veterinario e ele estava com parvovirose. Essa doença pode levar o cachorro a morte. Teve que ficar internado por três dias e iamos visita-lo três vezes ao dia. Nessa altura o nome dela já era Boris, descobrimos que ele tinha um fascinio por bolas. Tudo isso aconteceu em 2004 e desde então Boris é meu protegido, meu anjinho. Ele expressa uma gratidão enorme por mim, um amor incondicional, onde vou ele está junto e morre de ciumes. Dorme no quarto com a gente, tem quase todas as duas vontades saciadas é muito carinhoso e quando passa o dia no quintal entra em casa dando muitos beijinhos na gente. Ele não passou só por isso, depois teve que fazer uma cirurgia para colocar a patela no lugar, que nesse hospital veterinario não notaram que a patela estava fora de lugar, prenderam com arame depois teve que fazer outra cirurgia para tirar o arame e junto tiraram o parafuso que estava dentro do osso. Ele manca um pouco, mas faz tudo normal, sempre estou observando se esta tudo bem.



A Inteligencia



Boris é extremamente inteligente, assiste tv, sabe abrir portas pela maçaneta . Dizem que os animais não conseguem ver em duas dimensões, mas se estivermos vendo fotos no computador, ele vem para ver também e fica latindo para o monitor. Entende tudo que falamos, se ele está no quintal e dissermos: " você só entra se a bolinha ficar ai fora", ele larga a bolinha no chão na hora.



Poderia passar a noite inteira falando dele, mas vou deixar uma foto só para vocês entenderem como ele é inteligente e não corujisse minha.

Um comentário:

Rezinha disse...

Oi Marcia, que bom q vc mudou o espaco de comentario do seu blog...
eu passava aqui td dia, lia e nao podia deoxar recado algum!!!
Linda a estoria do Boris hein..
fiquei td emocionada!!!
um otimo final de semana..bjus