segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Sogra

Mesmo que meu marido leia esse blog, não estou nem ai, preciso desabafar com alguém de algumas coisas que vem acontecendo a algum tempo. Desde que meu cunhado morreu minha sogra resolveu deixar de cuidar da vida dela para cuidar da minha, sim da minha vida, do que eu faço e não ,no minimo, a do filho dela, já que ele é parente dela e não eu. Já devo ter dito aqui que já morei sozinha, sou muito independente, fui criada assim. Nunca fiquei ligando pra pai e mãe toda hora pra dizer onde estava ou deixava de estar tanto porque os dois tinham mais o que fazer da vida. Sempre sai e dizia "mãe estou saindo, não sei que horas chego" e ponto final. Depois que casei as coisas mudaram um pouco, mas até ai é marido tudo bem. O que não admito e está me enchendo é a mãe dele ficar querendo saber o que faço, onde vou, quando vou, que horas volto. Outro dia estavamos no carro e depois de perguntar em outros dias dez mil vezes que horas faço academia, quanto tempo fico e tal, ela fala no carro (meu marido dirigindo), acho que vou fazer academia também, mas não com interesse de querer fazer, porque pra uma pessoa que não tem coragem de ir ao ginecologista em mais de seis anos, não deve ter muito interesse em cuidar do corpo. Com um tom que parecia que eu estava mentindo, não fazia academia coisa nenhuma, que era uma vagabunda que estava dando por ai. Eu respondi naturalmente, mas o sangue ferveu. O outro episodio ela fez um questionario de mil perguntas sobre onde eu estava para a menina que fazia limpeza aqui. Por duas vezes veio até minha casa e eu não estava, ela liga pro Luiz pra contar, não sei com qual intenção. Sem contar o escandalo que fez que eu já postei aqui. Acho que poderiamos ter uma relação legal. Como eu tenho com a Lurdes, essa semana não foi na casa da Lurdes e nem por isso ela saiu me cassando. Mas com toda essa intromição isso me afasta e pior fico com raiva. A moto do Luiz é outro assunto, meu marido tem moto, e mesmo quando tinhamos dois carros ele tinha moto, compra roupas de moto, revista de moto, assiste corrida de moto no domingo e quando dá as terças feiras vamos ao encontro de motoqueiros no Ibirapuera, ele sabe de todos os lançamentos de motos novas e já quase comprou uma moto de mil cilindradas que eu não deixei. Alguém ainda acha que eu obrigo ele a ter moto e sou muito malvada e fico andando a toa pra cima e pra baixo com o carro quando o pobre vai trabalhar debaixo de chuva de moto? Detalhe ele tem uma jaqueta caresima para andar na chuva, tem um conjunto de calça e jaqueta para chuva e mesmo que tome chuva ele não molha a roupa. A minha sogra acha, acha que o coitado anda de moto porque não pode comprar um carro e a egoista aqui se apossa do unico carro que temos. Outro detalhe a moto dele é nova e daria para vender e comprar outro carro. Antes achava que eu não sabia cozinhar e que o filho dela passava fome, depois de dar um baile de culinaria na casa dela viu que não era bem assim. A minha obrigação de dona de casa faço, casa limpa, comida feita, roupa lavada, toalha seca no banheiro. Acho que posso cuidar de mim? Não para por ai, tem mais, mas isso já basta. Acho que isso vai além do limite do respeito, cada um tem sua privacidade e não lembro de ter dado liberdade pra tanto. Acho que ela esta confundindo as coisas, preciso cortar isso desde de já, caso contrário minha vida vai virar um inferno.

Um comentário:

Rezinha disse...

que sogrinha hein...
Eu nao teria papo na lingua, como nao tenho naturalmente, mas essa eh dose..
ate qdo vc vai aguentar??
bj